Korin, uma marca que constrói seu ciclo virtuoso e sustentável a partir da variável sinceridade

27/07/2020

 

Korin

O conceito de organização virtuosa se concretiza, aos poucos, norteada por estudos que demonstram que o desenvolvimento de uma cultura e comportamento virtuoso só gera evolução, principalmente, no ambiente organizacional e orientando-se pelas perspectiva do “Spiritual Mindfulness Organisations”, apresenta um novo caminho para o equilibrio dos recursos ambientais,  desenvolvimento humano, social e econômico de forma sustentável e respeitosa.

O desafio é apresentar exemplos de práticas verdadeiras e de gestão em empresas que assumem esse desafio como estratégica corporativa. Iniciamos o quadro Locus Virtuoso Empresarial, no canal NomuseLocus e no portal, bem como na área de Estudos e Artigos da T.Academia com a Korin, um case de empresa que vem assumindo desde sua fundação há 25 anos, ter como missão e filosofia empresarial práticas sustentadas nos conceitos proferidos pelo filósofo Mokiti Okada, que professa o equilibrio entre preservações o uso dos recursos naturais, levando-a para norte para o core do negócio, sustentada na agricultura natural em todas as fases e áreas de atuação da marca.

Reginaldo Morikawa KorinA carne bovina orgânica certificada da Korin, por exemplo, é proveniente de novilhos criados a pasto em áreas cobertas por mais de 500 espécies de capins e vegetais nativos, o que confere alto nível de ômega 3 à carne. Os animais são criados sem o uso de ureia para a engorda, com alimentação totalmente orgânica e livre de antibióticos e quimioterápicos. “Nossos bovinos trazem benefícios à saúde, ao meio ambiente e às tradições da cultura do homem pantaneiro, presente na agropecuária há mais de 250 anos, em convívio harmonioso com a natureza”, explica o diretor superintendente da Korin, Reginaldo Morikawa. O Pantanal é a maior área continental úmida do planeta e este bioma, também conhecido como ‘reino das águas’, é importante para o suprimento de água e para o equilíbrio climático do Planeta.

A Korin, a Naturafrig e a Associação Brasileira de Pecuária Orgânica (ABPO), em iniciativa integradora, trabalham em conjunto para promover este produto que conta, ainda, com o apoio de grupos importantes, como o WWF-Brasil, o GTPS (Grupo de Trabalho da Pecuária Sustentável), EMBRAPA Pantanal, e o IBD (Instituto Biodinâmico), que garante e certifica que a produção da Korin se dá em fazendas nativas e orgânicas, enquadradas na lei 10.831 de 23/12/2003 do SISORG – Sistema Brasileiro de Conformidade Orgânica.

 Da mesma forma, a sazonalidade entre seca e cheia colabora para a alimentação do gado e para a adubação das terras, o que tira qualquer necessidade de adicionar adubos químicos e orgânicos ao solo. Em 2018 ocorreu, em Campo Grande (MS), a coroação do trabalho em busca do incentivo à preservação ambiental, da inclusão social e da Agricultura Familiar do Pantanal sul-mato-grossense com a estruturação da cadeia produtiva de bovinos no Pantanal. Todo este sistema tinha a carência de finalizar o processo produtivo diferenciado fazendo com que a carne sustentável e orgânica chegasse às mãos dos consumidores.

A Korin desenvolveu, a pedido da ABPO, um protocolo de produção sustentável e lançou uma variedade inédita de carne bovina em 2015. Na cerimônia, realizada durante o Fórum Oportunidades de Precificação de Carbono no Setor Agropecuário”, o governo estadual do MS selou um momento inédito no País que consistiu no lançamento de uma lei do Mato Grosso do Sul que já beneficia grandemente toda uma cadeia produtiva sustentável e orgânica: o PROAPE – Programa de Avanços na

Quando se observam os valores da empresa nota-se a presença de algumas variáveis como bondade, compaixão e nas palavras do seu diretor superintendente, Reginaldo Morikawa a prática cotidiana, presente em todos os momentos e relacionamentos – int3rnos ou externos – mantidos pela Korin, do “makoto”, a pratica da sinceridade.

“Nas relações o que falta, verdadeiramente é a sinceridade”, opina Morikawa. “Sinceridade em entender a pessoas que está com você, as suas necessidades, seja ela um produto rural, um animal, uma planta, um fornecedor, um distribuidor, empregado ou consumidor fina. Quando se tem “makoto”, sinceridade nas relações, tudo vai bem, pois é assim que a korin faz, desde 1994, quando começamos a atuar, temos esse princípio”, expõe.

“Essa sinceridade”, diz o diretor superintendente, “significa começar a ter um olhar sob o prisma do olhar da outra pessoa para você.  Quando se procura um diálogo, uma conversa não vamos como a empresa conversando com o produtor final, mas nos colocamos no lugar dele”, continua Reginaldo Morikawa.

Outro princípio destacado por ele, incorporado pela empresa da filosofia de Mokiti Okada, tem relação com o conceito do “subjetivismo e o objetivismo”, ou seja, colocando-se no lugar do outro - para analisar o que você vai fazer. Esses princípios estão presente no nosso dia a dia, sem considerar nenhuma distinção religiosa, mas a espiritualidade é intrínseca a todas as nossas atividades”, conclui o diretor.

E nesse jeito Korin o conflito é visto sob outro prisma. Não existe uma rotulação, um manual a ser seguido, pois essas práticas absorvidas individualmente, tornam-se virtuosas e naturais cotidianamente. E ele cita outro norte seguido da filosofia Okada, ou seja, “conflito está ligado por dias coisas: de 100% dos conflitos 90% é erro de falta de entendimento ou de comunicação e 10% é em função da razão”.

Por esse posicionamento a Korin tem garantido expansão no negócio e um crescimento sustentável de mais de 00% do negócio nos últimos 25 anos.

Veja a primeira entrevista da série organizações reputáveis virtuosas e suas histórias que inspiram em @nomuselocus.

Acesse nossa rede

 

Pesquisa Nº 1

QUESTAO:

“Você já enfrentou situações nas quais você não foi respeitado? Se positiva. O desrespeito é mais usual em que ambiente de seus relacionamentos cotidianos?”.


Resultado:

SIM – 100%


ONDE?

60% - Sociedade em geral

100% - Ambiente de Trabalho

80% - Nos espaços públicos

50% - Pelo Estado

30% - Nas instituições de ensino


Quer conhecer mais detalhes da pesquisa? Acesse e baixe a 1ª edição da NomuseLocusMagazine.